Portal de Notícias

Aqui, você encontra conteúdo de qualidade, para manter-se informado sobre todos os aspectos da vida condominial.

Encontre o seu imóvel

  • Imóveis à Venda
  • Imóveis para Locação

Com a chegada do verão, a tendência é que a quantidade de pessoas que frequentam as piscinas dos condomínios ou de suas próprias residências aumente. Junto com a diversão e o alívio do calor, isso também demanda um cuidado maior e mais rotineiro da qualidade e limpeza da água da piscina. Para manter a água limpa e cristalizada e garantir que todos aproveitem bem estes momentos, é necessário realizar a manutenção com empresas especializadas no assunto. 


As químicas da equipe da ACR Consultoria Química, Cenira Ramos e Gabriela Maciel, demonstraram a importância de cumprir a periodicidade recomendada de manutenção, que, nesta época do ano, deve ser realizada todos os dias. Como elas explicaram, em alguns casos, conforme o número de pessoas que circulam pela piscina durante o dia,  acaba sendo necessário repor o cloro mais vezes. 


Mesmo após tomar uma ducha, o corpo humano continua carregado de matéria orgânica - suor, restos de protetor solar, gordura do corpo; que acabam sendo levados para a água da piscina. Por conta da ação de combate do cloro, esses resíduos se degradam, mas, para isso, demanda-se uma grande quantidade do produto. As químicas aconselham a instalação de aparelhos que dosam o cloro automaticamente, indicados principalmente para piscinas públicas ou de condomínios. 


Quando a manutenção não é realizada de acordo com as especificações recomendadas, as consequências atingem diretamente a saúde daqueles que entram em contato com a água suja. Cenira cita uma lista de doenças que podem ser contraídas: dermatites, conjuntivite, otite, hepatite, rinite, e, em casos mais graves, doenças bacterianas, como infecção urinária e infecção intestinal. Tanto a ausência dos produtos quanto o excesso destes trazem malefícios, sendo que uma dosagem além do recomendado de cloro pode ocasionar alergias, tonturas e náuseas. Por isso, ambas destacam a importância de manter a água da piscina dentro dos parâmetros, para que estes problemas não ocorram com os banhistas. 


Os banhistas, por sinal, também tem um papel muito representativo neste cuidado. Além dos procedimentos químicos, é dever, assim como apontou Gabriela, de quem a utiliza ajudar a mantê-la limpa por mais tempo. 


Recomendações de uso da piscina para os banhistas:

  • Ducha antes de entrar na água, para eliminar bronzeador, protetor solar e excesso de matéria orgânica do corpo;

  • Não comer dentro da piscina;

  • Utilizar roupa de banho;

  • Não urinar dentro da piscina. 


Assim como os condôminos, é de grande importância que o síndico do condomínio esteja atento a manutenção da piscina, criando regras claras quanto ao uso desta - estando apto a cobrar multas quando necessário. Mais do que isso, é importante a contratação de um profissional químico qualificado, que dará o respaldo e auxiliará no processo de conscientização do uso e do tratamento da piscina. 


Piscina é diversão, mas também é um assunto sério. Envolve a saúde daqueles que a utilizam, assim como o trabalho e a dedicação daqueles que cuidam da manutenção e da limpeza diária. Nesta época do ano, as vistorias das equipes de tratamento podem ser semanais ou quinzenais, de acordo com o tamanho e as demandas do condomínio. Fora as vistorias, o Conselho e a Secretaria de Saúde são responsáveis por fiscalizar e garantir que um profissional da área esteja responsável pela manutenção.


Essas são as dúvidas mais recorrentes quando o assunto é piscina no verão. Tem alguma dúvida e ela não foi respondida no texto? Responde nos comentários!


Assista nossa entrevista:

https://www.youtube.com/watch?v=W467cLxo7Yg